Utilização de tecnologia em edificios de escritórios existentes pode economizar 18% de energia

Fonte: Energy Manager Today

Edifícios inteligentes que utilizam tecnologias interconectadas podem fornecer aos seus proprietários e aos ocupantes economias significativas de energia, conclui um novo relatório do Conselho Americano para uma Economia Eficiente em Energia (ACEEE). Em particular, um prédio de escritórios médio pode economizar 18% de todo o seu uso de energia no edifício através de tecnologias inteligentes.

"Edifícios inteligentes: um mergulho mais profundo nos segmentos do mercado" pelo Christopher Perry, da ACEEE, examina de perto os edifícios comerciais, incluindo escritórios, varejo, hotel e edifícios hospitalares. Publicado em dezembro, o relatório observa que os escritórios representam o maior setor de construção comercial com base no consumo de energia, no número de edifícios e na área do piso.

As tecnologias interligadas, que é como o relatório define "inteligente", oferecem inúmeros benefícios. Os sensores de ocupação, os termostatos inteligentes e outros controles de HVAC podem reduzir o ar condicionado e ventilado para áreas de baixa utilização ou desocupadas de um escritório, informa o relatório. Da mesma forma, controles de iluminação inteligentes diminuem ou desligam as luzes quando os funcionários não estão lá. Perry também destaca saídas inteligentes de energia que controlam as cargas dos plugues dos equipamentos de escritório.

"Essas tecnologias podem exibir dados em tempo real, diagnosticar a operação de equipamentos defeituosos e reduzir o desperdício de energia", escreve Perry. "Embora os operadores de edificações já pudessem agendar seus equipamentos há muito tempo atras, mais recentemente equipamentos podem ser conectados (com ou sem fio) e controlados a partir de um ponto central, respondendo a mudanças de condições dentro e fora do prédio".

Ao mesmo tempo, a tecnologia fornece benefícios não energéticos. "Estudos sugerem que a iluminação e a ventilação melhoradas podem ajudar a aumentar a produtividade dos funcionários", diz o relatório. "Insights com base em dados de construções inteligentes também podem ajudar uma empresa a otimizar o plano de escritório. Isso, por sua vez, pode melhorar a rentabilidade da empresa e aumentar o valor do edifício ".

Perry descreve várias oportunidades de tecnologia inteligente chave para escritórios Classe B nos Estados Unidos - um setor composto por mais de 1 milhão de escritórios e 16 bilhões de metros quadrados totais. Eles são: HVAC, iluminação, gerenciamento de energia e sistemas de informação (EMIS) e teletrabalho.

Com tantos funcionários longe de suas mesas mais da metade do tempo, o teletrabalho pode ajudar a justificar upgrades de construção inteligente, observa Perry. "As empresas da Fortune 1000 estão começando a renovar seus espaços de trabalho para reduzir a energia usada para condicionar o ar e para iluminar esses espaços quando estão vazios", ele escreve.

O relatório também articula os principais obstáculos à adoção. Uma é a falta de submedições em alguns edifícios de escritórios, fazendo os esforços para economizar energia mais difícceis do que uma situação em que os espaços de locação são submetidos à medição própria. Os inquilinos de pequenos escritórios também podem ser desafiantes para alcançar os esforços de eficiência energética, diz Perry. Os desafios adicionais incluem o tratamento de escritórios como ativos de curto prazo, garantindo pagamentos rápidos, os orçamentos menores de escritórios das classes B e C e a segurança cibernética.

Apesar das barreiras, as modernizações e atualizações de edifícios comerciais estão aumentando. No outono passado, o JPMorgan Chase anunciou planos para adaptar mais de 70% de suas agências de Detroit com luzes LED e novos sistemas de gerenciamento de edifícios. E um sistema de iluminação IoT da Gooee está sendo testado no escritório de CBRE em Amsterdã.

Perry vê um futuro brilhante, escrevendo que "quanto mais cedo o edifício comercial médio se torne inteligente, mais cedo os edifícios inteligentes podem se transformar em cidades inteligentes conectadas a uma rede inteligente, agregando valor às nossas vidas e revolucionando a eficiência energética dos EUA no processo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário!