Pular para o conteúdo principal

Utilização de tecnologia em edificios de escritórios existentes pode economizar 18% de energia

Fonte: Energy Manager Today

Edifícios inteligentes que utilizam tecnologias interconectadas podem fornecer aos seus proprietários e aos ocupantes economias significativas de energia, conclui um novo relatório do Conselho Americano para uma Economia Eficiente em Energia (ACEEE). Em particular, um prédio de escritórios médio pode economizar 18% de todo o seu uso de energia no edifício através de tecnologias inteligentes.

"Edifícios inteligentes: um mergulho mais profundo nos segmentos do mercado" pelo Christopher Perry, da ACEEE, examina de perto os edifícios comerciais, incluindo escritórios, varejo, hotel e edifícios hospitalares. Publicado em dezembro, o relatório observa que os escritórios representam o maior setor de construção comercial com base no consumo de energia, no número de edifícios e na área do piso.

As tecnologias interligadas, que é como o relatório define "inteligente", oferecem inúmeros benefícios. Os sensores de ocupação, os termostatos inteligentes e outros controles de HVAC podem reduzir o ar condicionado e ventilado para áreas de baixa utilização ou desocupadas de um escritório, informa o relatório. Da mesma forma, controles de iluminação inteligentes diminuem ou desligam as luzes quando os funcionários não estão lá. Perry também destaca saídas inteligentes de energia que controlam as cargas dos plugues dos equipamentos de escritório.

"Essas tecnologias podem exibir dados em tempo real, diagnosticar a operação de equipamentos defeituosos e reduzir o desperdício de energia", escreve Perry. "Embora os operadores de edificações já pudessem agendar seus equipamentos há muito tempo atras, mais recentemente equipamentos podem ser conectados (com ou sem fio) e controlados a partir de um ponto central, respondendo a mudanças de condições dentro e fora do prédio".

Ao mesmo tempo, a tecnologia fornece benefícios não energéticos. "Estudos sugerem que a iluminação e a ventilação melhoradas podem ajudar a aumentar a produtividade dos funcionários", diz o relatório. "Insights com base em dados de construções inteligentes também podem ajudar uma empresa a otimizar o plano de escritório. Isso, por sua vez, pode melhorar a rentabilidade da empresa e aumentar o valor do edifício ".

Perry descreve várias oportunidades de tecnologia inteligente chave para escritórios Classe B nos Estados Unidos - um setor composto por mais de 1 milhão de escritórios e 16 bilhões de metros quadrados totais. Eles são: HVAC, iluminação, gerenciamento de energia e sistemas de informação (EMIS) e teletrabalho.

Com tantos funcionários longe de suas mesas mais da metade do tempo, o teletrabalho pode ajudar a justificar upgrades de construção inteligente, observa Perry. "As empresas da Fortune 1000 estão começando a renovar seus espaços de trabalho para reduzir a energia usada para condicionar o ar e para iluminar esses espaços quando estão vazios", ele escreve.

O relatório também articula os principais obstáculos à adoção. Uma é a falta de submedições em alguns edifícios de escritórios, fazendo os esforços para economizar energia mais difícceis do que uma situação em que os espaços de locação são submetidos à medição própria. Os inquilinos de pequenos escritórios também podem ser desafiantes para alcançar os esforços de eficiência energética, diz Perry. Os desafios adicionais incluem o tratamento de escritórios como ativos de curto prazo, garantindo pagamentos rápidos, os orçamentos menores de escritórios das classes B e C e a segurança cibernética.

Apesar das barreiras, as modernizações e atualizações de edifícios comerciais estão aumentando. No outono passado, o JPMorgan Chase anunciou planos para adaptar mais de 70% de suas agências de Detroit com luzes LED e novos sistemas de gerenciamento de edifícios. E um sistema de iluminação IoT da Gooee está sendo testado no escritório de CBRE em Amsterdã.

Perry vê um futuro brilhante, escrevendo que "quanto mais cedo o edifício comercial médio se torne inteligente, mais cedo os edifícios inteligentes podem se transformar em cidades inteligentes conectadas a uma rede inteligente, agregando valor às nossas vidas e revolucionando a eficiência energética dos EUA no processo".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como se adaptar à tarifa branca de energia elétrica

A partir de janeiro de 2018 os consumidores de energia elétrica com consumo superior a 500 KW por mes poderão aderir ao novo tipo de bilhetagem denominado "tarifa branca". Para quem optar pela tarifa branca, o preço da energia mudará ao longo do dia e será diferente para dias úteis e fins de semana. No dias úteis, haverá três faixas de preço: horário de pico, intermediário e fora de pico. Nos fins de semana e feriados nacionais valerá apenas a tarifa fora do horário de pico.

A principio o horário de pico pode variar um pouco entre as diversas regiões do Brasil, mas deve se concentrar no periodo das 18h as 21h.

Pensando nas áreas comuns dos condominios, é necessário fazer um estudo previo e avaliar as possibilidades de aderir a este novo tipo de tarifação. De todo modo, para garantir um desempenho mais eficiente e menores gastos em geral, recorrer a sistemas automatizados pode ser uma excelente forma de poupar.

Vamos dar alguns exemplos tipicos, lembrando que cada situação parti…

Automação Predial se torna viável para todo tipo de edificação

Autor: Eng. José Roberto Muratori
Artigo publicado na revista Lumiere Electric. edição 238, fevereiro de 2018

O conceito habitualmente utilizado para definir os sistemas de Automação Predial está sofrendo uma mudança considerável nos últimos tempos. A evolução da tecnologia começa a reduzir o impacto do hardware necessário dentro da edificação e tudo que isto implica, ou seja: dificuldades na instalação, manutenção e operação especializadas, atualizações complexas e caras.

Mas, será que de alguma forma isto pode causar o desaparecimento dos sistemas “tradicionais”, os denominados BMS (Building Management Systems)?
Sistemas mais complexos e que utilizam equipamentos com grande capacidade de processamento embutida e necessitam de uma durabilidade e robustez acima da média continuarão a ser necessários, principalmente em grandes instalações e em situações de uso intensivo. Serão responsáveis principalmente pela operação e controle de sistemas hidráulicos (bombas, etc.), climatização centrali…

Utilizando a tecnologia para atender os novos conceitos de moradia

Autor: Eng. José Roberto Muratori
Publicado na revista Lumiere Electric numero 236, dezembro de 2017

O setor da construção civil no Brasil sofreu intensamente os efeitos da retração na economia principalmente nos últimos dois anos. Com isso, o mercado imobiliário tem se ressentido de novos lançamentos nas áreas urbanas mais intensamente povoadas. Se foi um período difícil para a produção, por outro lado tem sido efetivo no estudo das novas tendências no conceito de moradias urbanas. Acompanhamos diversos eventos e o surgimento de relatórios que confirmam algumas constatações que até pouco tempo atrás ficavam apenas no terreno especulativo.
E quais seriam estas constatações?
Uma tendência de produzir apartamentos com espaços privativos cada vez menores, compensada pela oferta de áreas comuns muito equipadas. Além disso, localizados em regiões que contam com facilidade de transporte público e ampla oferta de serviços nas proximidades.
O surgimento de empreendimentos multiuso de encaixa també…